sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

DEUS PERDOA OS ADÚLTEROS?


Na verdade, este texto de Mt 19:9 sugere o sentido que o escritor dá as palavras de Jesus em aramaico e depois escritas em grego coinê:


porneia: fornicação
Palavra Original: πορνεία, ας, ἡ 
parte do discurso: Substantivo, Feminine Transliteration: porneia ortografia fonética: (por-nô-ah) Definição sucinta: fornicação, idolatria Definição: fornicação, prostituição; satisfeitas: a idolatria.



AJUDA estudos palavra-
4202 Porneia (a raiz dos termos ingleses "A pornografia, pornográfico"; cf. 4205 / pornos ), que é derivado de pernaō , "para vender off") - corretamente, a venda off (rendendo) de pureza sexual; promiscuidade de qualquer ( cada) tipo.

"Venda do corpo". Jesus MENCIONOU que a "venda do corpo" é a causa legítima das separações. Mas alguém pode duvidar disto, simplesmente olhando para dinheiro. Porém, o espírito do que está escrito é mais profundo.

Esperavam que Jesus respondesse a questão de maneira universal, e não de modo restrito, relacionando a questão com os acontecimentos da época (contextualizando).

Ninguém se preocupava com a mulher repudiada. O questão dos escribas e os zelosos da Lei (fariseus) era o motivo do repúdio. Licito ou não? Uma vez repudiada, o futuro da mulher seria incerto. Talvez a sujeição ao trabalho escravo, outras vezes a mendicância, mas na maioria das vezes o fim era a prostituição. Israel estava produzindo uma sociedade feminina marginal (à margem)

Até hoje queremos discutir a licitude do divórcio. Ninguém quer ouvir o que o Mestre está ensinando: por onde ele começa e as consequências de um divórcio.

Todo divórcio se inicia por cobiça. E toda cobiça é uma forma de idolatria.

E estas coisas foram-nos feitas em figura, para que não cobicemos as coisas más, como eles cobiçaramNão vos façais, pois, idólatras, como alguns deles, conforme está escrito: O povo assentou-se a comer e a beber, e levantou-se para folgar. 1 Coríntios 10:6-7

Mortificai, pois, os vossos membros, que estão sobre a terra: a fornicação, a impureza, a afeição desordenadaa vil concupiscência, e a avareza, que é idolatria; Colossenses 3:5

Porque é bastante que no tempo passado da vida fizéssemos a vontade dos gentios, andando em dissoluções, concupiscências, borrachices, glutonarias, bebedices e abomináveis idolatrias; 1 Pedro 4:3

Portanto, meus amados, fugi da idolatria. 1 Coríntios 10:14

Enquanto muitos atribuem o sentido da idolatria a culto de deuses pagãos e a imagens de escultura, Jesus atribui a COBIÇA!

Então Jesus está dizendo: "Quando o cônjuge, decide COBIÇAR, então o divórcio é lícito!

Mas esperem um pouco! Lembram do Evangelho?

Eu, porém, vos digo, que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela. Mateus 5:28

ÔPA!

Então, todos são porneia! Todos são prostitutos! E agora? Quem pode se julgar no direito de exigir o divórcio?

Voltemos a questão do "vender o corpo"!

Quando uma pessoa decide fazer sexo por qualquer motivação que não seja a simples necessidade do equilíbrio físico, emocional e relacional, exite uma venda!

Quantas vezes já fizemos sexo sem qualquer envolvimento com alguma destas licitudes? Apenas para cumprir a "obrigação"? Quem mais cumpre as "obrigações": o homem ou a mulher? Em geral, quem se torna mais "objeto de satisfação": o homem ou a mulher?

Jesus estava avaliando o relacionamento conjugal entre homens e mulheres, e as motivações que resultavam em separações, e finalmente, as consequências destas separações para as mulheres, que eram (na época) objetos de satisfação sexual, E DISSE:

Eu vos digo, porém, que qualquer que repudiar sua mulher, não sendo por causa de fornicação, e casar com outra, comete adultério; e o que casar com a repudiada também comete adultério. Mateus 19:9

O interessante é que apenas os discípulos discerniram o que Jesus estava dizendo:

Disseram-lhe seus discípulos: Se assim é a condição do homem relativamente à mulher, não convém casar. Ele, porém, lhes disse: Nem todos podem receber esta palavra, mas só aqueles a quem foi concedido. Mateus 19:10-11

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

PELO FRUTO OS CONHECEREIS!

 Após Jesus chamar os 12 homens para com Ele caminhar, uma disciplina (discipulado) foi iniciada com estes homens. Disciplinar alguém, ou ensinar alguém, sobre uma mentalidade que não pertence a este mundo, não é uma tarefa muito fácil. O Evangelho nada mais é que uma mudança em nosso pensar, em nossa cultura, em nossas convicções... Por isso, toda palavra que sai da boca de Jesus é um espírito (mentalidade) que resulta em uma qualidade de vida.
Vimos nos Evangelhos, que na religião judaica, os cultos e os ritos, geraram naqueles que eram responsáveis por sua execução uma roupagem (aparência - hipocrisia) falsa e acabaram por transformá-los em homens maus:
Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que edificais os sepulcros dos profetas e adornais os monumentos dos justos, E dizeis: Se existíssemos no tempo de nossos pais, nunca nos associaríamos com eles para derramar o sangue dos profetas. Assim, vós mesmos testificais que sois filhos dos que mataram os profetas. Enchei vós, pois, a medida de vossos pais.
Serpentes, raça de víboras! Como escapareis da condenação do inferno? Portanto, eis que eu vos envio profetas, sábios e escribas; a uns deles matareis e crucificareis; e a outros deles açoitareis nas vossas sinagogas e os perseguireis de cidade em cidade; Para que sobre vós caia todo o sangue justo, que foi derramado sobre a terra, desde o sangue de Abel, o justo, até ao sangue de Zacarias, filho de Baraquias, que matastes entre o santuário e o altar.
Em verdade vos digo que todas estas coisas hão de vir sobre esta geração.
Mateus 23:29-36
Jesus advertiu os discípulos: “Ajuntando-se entretanto muitos milhares de pessoas, de sorte que se atropelavam uns aos outros, começou a dizer aos seus discípulos: Acautelai-vos primeiramente do fermento dos fariseus, que é a hipocrisia.” Lucas 12:1
Esta “geração má” é fruto de uma religiosidade perniciosa. Portanto, qualquer que seja o tempo ou a época em que se vive, corremos o risco de transformar o ensino, ou a disciplina em algo que nos transforme em homens maus. Olhando para outro texto, vemos um ensino como uma advertência aos discípulos que estavam com Jesus pelo Caminho da consciência ou de um novo espírito (mentalidade):
Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores. Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos? Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz frutos maus. Não pode a árvore boa dar maus frutos; nem a árvore má dar frutos bons. Toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo. Portanto, pelos seus frutos os conhecereis. Mateus 7:15-20
Ocorre que é em João que encontramos uma parábola que insere o  contexto “árvore, varas e frutos”:
Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador. Toda a vara em mim, que não dá fruto, a tira; e limpa toda aquela que dá fruto, vara que dê mais fruto. Vós já estais limpos, pela palavra que vos tenho falado.
Estai em mim, e eu em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim. Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.
Se alguém não estiver em mim, será lançado fora, como a vara, e secará; e os colhem e lançam no fogo, e ardem. João 15:1-6
É possível alguém “estar em Jesus” e não dar fruto? Sim. Jesus disse: “Toda a vara em mim, que não dá fruto, a tira”... Por que? Simples. A reunião é feita em Nome de Jesus, a oração também, bem como a operação de sinais e prodígios, mas pode não estar frutificando. Ora, mas estamos fazendo tudo em Nome de Jesus e não estamos frutificando?
Existe uma expressão muito sutil que passa despercebida pelos nossos olhos quando estamos lendo esta parábola: “Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto”. Quando praticamos as boas obras a que fomos chamados a realizar no Nome de Jesus, estamos nEle. Mas quando o processo que nos conduz para estas boas obras, não vem da nossa vontade, nem do nosso esforço, mas sim da vontade de Cristo, Ele está em nós! Discernir isto precisa de uma ferramenta: Evangelho.
Hoje vamos aprender que ferramenta é esta e como devemos usá-la para discernir quais as intenções que brotam dos nossos corações: se vem de Cristo ou se são frutos de nós mesmos.
Transformar o Evangelho numa religião foi o maior erro que o homem poderia ter feito; porque as sistematizações que fizeram a partir do Evangelho, mudaram aquilo que era simples em um conceito eclesiástico e de hierarquias. Jesus sempre advertiu os discípulos acerca dessa tentação:
Naquela mesma hora chegaram os discípulos ao pé de Jesus, dizendo: Quem é o maior no reino dos céus? E Jesus, chamando um menino, o pôs no meio deles, E disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no reino dos céus. Portanto, aquele que se tornar humilde como este menino, esse é o maior no reino dos céus. E qualquer que receber em meu nome um menino, tal como este, a mim me recebe. Mateus 18:1-5
E fazem todas as obras a fim de serem vistos pelos homens; pois trazem largos filactérios, e alargam as franjas das suas vestes, E amam os primeiros lugares nas ceias e as primeiras cadeiras nas sinagogas, E as saudações nas praças, e o serem chamados pelos homens; Rabi, Rabi. Mateus 23:5-7
Quando a obra de Deus em nós é forçada por um processo de visibilidade aos olhos de terceiros, de reconhecimento humano, de glória pessoal, ou de afirmação no meio, tudo isto é um processo religioso, pernicioso e característico de uma geração má. Assim podemos estar em Cristo, porém Cristo não está Se movendo em nós! Não é uma operação do Espírito, ainda que em Nome de Jesus mortos sejam ressuscitados, cegos vejam e paralíticos andem, mas o fato é que Ele não está em nós!
Jesus disse que o Pai busca encontrar em nós uma mentalidade (espirito) e uma disciplina (verdade) que nos faça adorá-lo conforme Cristo O adorou. A mente de Cristo deve ser a nossa mente, os processos em Cristo para fazer as boas obras devem ser os mesmos que atuam em nós.
Assim, agora podemos discernir o texto: “Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas”. Jesus não está falando de outro homem diferente de nós e que vem até nós “vestido de ovelha” NÃO! Jesus está dizendo para nós, que somos seus discípulos, que devemos reconhecer em nós mesmos este homem que faz as boas obras, porém a árvore que NOS supre para as boas obras não é a VIDEIRA VERDADEIRA. “mas, interiormente, são lobos devoradores. Um “lobo devorador” é um animal em nós pronto para nos consumir, um animal carnívoro, que se alimenta da nossa carne, e mata nossa verdadeira espiritualidade (mentalidade de Cristo)
A única pessoa, além do Espirito Santo, que pode reconhecer em si mesma a qualidade do seu fruto somos nós. Se pretensiosamente estivermos a julgar a qualidade de um fruto alheio estaremos incorrendo em outra advertência antes dessa:
Não julgueis, para que não sejais julgados. Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós. E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho? Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu? Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão. Mateus 7:1-5
Todo fruto alheio julgado por nós, gerará um justo juízo de Deus acerca da frutificação que estamos manifestando, que nos qualificará e nos julgará na mesma medida. Portanto, não podemos transformar o Evangelho, e a disciplina que dele decorre, em julgamentos de terceiros:
Portanto, és inescusável quando julgas, ó homem, quem quer que sejas, porque te condenas a ti mesmo naquilo em que julgas a outro; pois tu, que julgas, fazes o mesmo. E bem sabemos que o juízo de Deus é segundo a verdade sobre os que tais coisas fazem. E tu, ó homem, que julgas os que fazem tais coisas, cuidas que, fazendo-as tu, escaparás ao juízo de Deus? Ou desprezas tu as riquezas da sua benignidade, e paciência e longanimidade, ignorando que a benignidade de Deus te leva ao arrependimento? Mas, segundo a tua dureza e teu coração impenitente, entesouras ira para ti no dia a ira e da manifestação do juízo de Deus; O qual recompensará cada um segundo as suas obras... Romanos 2:1-6
Paulo diz que o “juízo de Deus é segundo a verdade” justamente porque só o Espirito Santo de Deus conhece qual seja a intenção verdadeira da boa obra que se manifesta, se ela procede de uma boa árvore ou de uma árvore má.
Amados, não ignoreis isto:

Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal. Assim que, sabendo o temor que se deve ao Senhor, persuadimos os homens à fé, mas somos manifestos a Deus; e espero que nas vossas consciências sejamos também manifestos. Porque não nos recomendamos outra vez a vós; mas damo-vos ocasião de vos gloriardes de nós, para que tenhais que responder aos que se gloriam na aparência e não no coração 2 Coríntios 5:10-12

terça-feira, 25 de novembro de 2014

A LUTA É DESIGUAL

Somos seres que experimentam todos os dias o que seja a vida e a morte. Não há um dia sequer, que deliberadamente nos lançamos em um destes caminhos. Mas quem, ou o quê, poderá nos salvar de nós mesmos?

Todos os dias somos tentados pela nossa carne. Esquecemo-nos de tudo que um dia ouvimos e fomos instruídos acerca de qual caminho devemos escolher em cada atitude, para dar vazão aos mais loucos desejos e sentimentos, que só revelam a face escura e de trevas das nossas almas. Até quando Senhor seremos atormentados pela ambiguidade existente em nós? Até quando sofreremos as concupiscências que nos assediam?

Agora mesmo, oro pela minha vida, e pela vida de outros que estão sofrendo da opressão da carne, e busco um lugar de refúgio para a minha alma, onde ela possa sossegar de tantas provocações.

Sem saber, acabo exercendo aquela recomendação do Evangelho:

Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças.

E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus.

Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.

O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso fazei; e o Deus de paz será convosco. Filipenses 4:6-9

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

PARA QUE SÃO OS SINAIS?


"Jesus, pois, operou também em presença de seus discípulos muitos outros sinais, que não estão escritos neste livro. Estes, porém, foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome". João 20:31


De fato, os sinais que acompanham a pregação do Evangelho está entrelaçado com a manifestação do Cristo, qual seja, o Messias esperado pelo povo de Israel, e portanto, podem comprovar que o Messias já é manifestado, e que as profecias acerca desta manifestação já foram cumpridas.

O interessante é que frequentemente Jesus foi desafiado pelos judeus a manifestar " sinais" e Paulo confirma que de fato os sinais são para os judeus:

E, chegando-se os fariseus e os saduceus, para o tentarem, pediram-lhe que lhes mostrasse algum sinal do céu. Mateus 16:1

Responderam, pois, os judeus, e disseram-lhe: Que sinal nos mostras para fazeres isto? João 2:18

E saíram os fariseus, e começaram a disputar com ele, pedindo-lhe, para o tentaremum sinal do céu. Marcos 8:11

Porque os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria; 1 Coríntios 1:22

E mais interessante ainda é que o sinal tinha que vir "do céu":


Jesus respondeu, e disse-lhes: A obra de Deus é esta: Que creiais naquele que ele enviou. Disseram-lhe, pois: Que sinal, pois, fazes tu, para que o vejamos, e creiamos em ti? Que operas tu? Nossos pais comeram o maná no deserto, como está escrito: Deu-lhes a comer o pão do céu. Disse-lhes, pois, Jesus: Na verdade, na verdade vos digo: Moisés não vos deu o pão do céu; mas meu Pai vos dá o verdadeiro pão do céu. Porque o pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo. Disseram-lhe, pois: Senhor, dá-nos sempre desse pão. João 6:29-34




Mas é numa conversa com Nicodemos que podemos começar a vislumbrar esta questão dos "sinais":


E havia entre os fariseus um homem, chamado Nicodemos, príncipe dos judeus. Este foi ter de noite com Jesus, e disse-lhe: Rabi, bem sabemos que és Mestre, vindo de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não for com ele. João 3:1-2




Nicodemos acaba de confirmar o que o profeta disse:


Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal: Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamará o seu nome Emanuel. Isaías 7:14

Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, E chamá-lo-ão pelo nome de EMANUEL, Que traduzido é: Deus conosco. Mateus 1:23




Finalmente Deus estava presente dentre o Seu povo, e os sinais que Jesus manifestava só comprovavam esta verdade. Mas nem Deus e nem Jesus podiam converter o coração daquele povo, e os sinais não se tornaram em um testemunho mas em uma condenação:


E, ajuntando-se a multidão, começou a dizer: Maligna é esta geração; ela pede um sinal; e não lhe será dado outro sinal, senão o sinal do profeta Jonas; porquanto, assim como Jonas foi sinal para os ninivitas, assim o Filho do homem o será também para esta geração. Lucas 11:29-30




Assim temos dois grupos de pessoas entre os judeus: um que pede um sinal para crer que o Messias é manifesto e outra que crê e por isso os sinais são manifestados.

E o que os sinais significam para nós gentios?

Do ponto de vista da manifestação do Cristo... NADA! Pois não esperávamos um Cristo, pelo contrário, para nós gentios não havia ainda uma pregação a respeito de salvação e nem de ressurreição, e portanto não esperávamos por um Salvador.


E os que foram dispersos pela perseguição que sucedeu por causa de Estêvão caminharam até à Fenícia, Chipre e Antioquia, não anunciando a ninguém a palavra, senão somente aos judeus. Atos 11:19




E por isso e por muito tempo, os sinais tem sido manifestados pelo propósito de convencer os judeus acerca da manifestação do Messias! No entanto, há aqueles gentios que ouvindo acerca da pregação do Evangelho, CREEM para salvação e perdão dos pecados:


E, levantando-se dali, foi para os termos de Tiro e de Sidom. E, entrando numa casa, não queria que alguém o soubesse, mas não pôde esconder-se; porque uma mulher, cuja filha tinha um espírito imundo, ouvindo falar dele, foi e lançou-se aos seus pés.E esta mulher era grega, siro-fenícia de nação, e rogava-lhe que expulsasse de sua filha o demônio. Mas Jesus disse-lhe: Deixa primeiro saciar os filhos; porque não convém tomar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos. Ela, porém, respondeu, e disse-lhe: Sim, Senhor; mas também os cachorrinhos comem, debaixo da mesa, as migalhas dos filhos. Então ele disse-lhe: Por essa palavra, vai; o demônio já saiu de tua filha. E, indo ela para sua casa, achou a filha deitada sobre a cama, e que o demônio já tinha saído. Marcos 7:24-30




Mas Jesus deixou uma palavra dura para esta nação Israel:


E maravilhou-se Jesus, ouvindo isto, e disse aos que o seguiam: Em verdade vos digo que nem mesmo em Israel encontrei tanta fé. Mas eu vos digo que muitos virão do oriente e do ocidente, e assentar-se-ão à mesa com Abraão, e Isaque, e Jacó, no reino dos céus; e os filhos do reino serão lançados nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes. Mateus 8:10-12




Os patriarcas viveram somente pela Fé. Mas vindo Moisés, Israel tornou-se uma nação e um reino, com Leis para serem governados, mas sempre transgrediam a Lei que era a representação do governo de Deus, até que pediram um rei, pois era mais fácil servir a um homem do que servir a Deus através da Lei. É neste contexto que o Messias vem e se manifesta, e para que o povo seja convencido desta verdade, os sinais são manifestados.

Hoje, temos algo semelhante no meio cristão evangélico. Muitas pessoas não tem mais a Jesus como seu Rei e Senhor, e assim elegem governos humanos para lhes obedecerem, pois é mais fácil servir a homens do que servir a Cristo segundo o Evangelho. Os sinais são manifestados para dizer que Jesus ainda está no meio desta geração maligna e perversa, no entanto, é naqueles que ainda existe um alguma crença acerca do Evangelho que os sinais são manifestados.

O que não podemos nos esquecer é que temos que crescer da crença para Fé, pois se permanecermos apenas na crença de que Jesus está presente e vivo, e que Seus sinais ainda são manifestados, não alcançaremos a ressurreição para vida eterna, pois não foi pela manifestação dos sinais que nós gentios alcançamos a nossa salvação, mas sim pela manifestação da Fé ao ouvirmos a Palavra do Evangelho.

Muito cuidado meu irmão que vive atrás dos sinais, dos milagres, da cura, e ainda não tem a Fé que transcende o medo da morte. Você ainda vive de crenças e não desenvolveu a Fé que te salva!